A importância de nos tornarmos frutíferos

Texto Base: Mateus 13: (1-9)

Introdução: Após a reconstrução de Jerusalém havia dois tipos de cristãos, Judeus e gentios. A igreja estava crescendo muito, mas ainda por falta de entendimento, os cristãos Judeus queriam que a lei continuasse sendo mediadora entre Deus e os homens. Havia um segundo tipo de cristão que entendiam que Jesus veio para cumprir a lei, ou seja, que a partir de então seria Jesus o mediador da salvação entre Deus e o homem. Os que eram chamados de cristão gentios usavam a lei para viver uma vida sem compromisso com Deus, isto é, diziam-se cristãos e argumentavam que a salvação não era mais pela lei e sim pela graça, com este argumento eles não precisariam frutificar espiritualmente.

Nesta palavra, Jesus deixa claro que são os frutos que diz quem somos. Naquele mesmo dia, saindo Jesus de casa, assentou-se à beira-mar; e grandes multidões se reuniram perto dele, de modo que entrou num barco e se assentou; e toda a multidão estava em pé na praia. E de muitas coisas lhes falou por parábolas e dizia: Eis que o semeador saiu a semear. E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho e, vindo às aves, a comeram. Outra parte caiu em solo rochoso, onde a terra era pouca, e logo nasceu, visto não ser profunda a terra. Saindo, porém, o sol, a queimou; e, porque não tinha raiz, secou-se. Outra caiu entre os espinhos, e os espinhos cresceram e a sufocaram. Outra, enfim, caiu em boa terra e deu fruto: a cem, a sessenta e a trinta por um. Mt. (13. 1-8)

Hoje, vimos os mesmos dois tipos de pessoas que fizeram parte da vida de Jesus. Uns dizem que vivem os mandamentos de Deus, pagam suas contas, não roubam, não matam e julgam os que vão a igreja e não fazem as coisas certas. Pensam que estão salvos. Este foi o pensamento que levou muitos judeus a rejeitar a glória de Deus. Do outro lado temos pessoas que confessam não viver as leis, mas a graça de Cristo e chamam de mundanos aqueles que vivem segundo as leis, se acham diferentes pelo fato de ir a igreja, cantar louvor, ler a bíblia e se acham no direito de julgar quem não faz isto. Jesus usa uma parábola para esclarecer que um verdadeiro cristão não estava condicionado a defender a lei ou a graça, mas sim apresentar frutos dignos de arrependimento. Todo o cristão saudável não fica usando argumentos para viver sua vida, mas busca o propósito de Deus e frutifica para sua glória.

Os frutos são a expressão da credibilidade de um cristão curado e transformado pelo poder de Deus. O que os frutos de uma árvore indicam? a sua qualidade. E o que nós somos hoje? Podemos dizer, que hoje somos o fruto de uma semente plantada ontem. A semente que recebemos gerou o que somos hoje, se não prepararmos o nosso coração para receber uma nova semente segundo a palavra de Deus, não mudaremos nossas vidas. Esta palavra fala do semeador que é Jesus, da semente que é sua palavra; do nosso coração que é a terra e as vantagens que cada semente tinha em cair em determinada terra. Caiu a beira do caminho quer dizer em um coração fraco que não escondeu a palavra de Deus, o segundo em solo rochoso que não almeja as coisas de Deus, um amor superficial enfraquece com a primeira pressão do mundo. Outra caiu entre os espinhos, um coração que não foi resolvido não foi livre da rejeição do passado, a mesma cresce e sufoca o propósito de Deus. (Mt 13. 23). Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende; este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um. Prepare seu coração para receber a palavra de Deus. Vamos orar para que nossas células sejam frutíferas e para que nossos familiares, amigos e vizinhos estejam sensíveis para abrir o coração ouvir a Deus e serem tocados pelo seu Espírito Santo.

Aps. Edson e Izadete Meneghetti.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here