BANINDO A PASSIVIDADE DE MINHA VIDA

 

Texto Base: Colossenses 1.29 para isso é que eu também me afadigo, esforçando-me o mais possível, segundo a sua eficácia que opera eficientemente em mim”.

Introdução: Só podemos dizer que as coisas não estão acontecendo em nossas vidas quando temos atitudes de mudanças. A passividade é uma ação que faz com que a maioria das pessoas fique estagnada mesmo em tempos de grandes oportunidades. Esta falta de iniciativa leva muitos a perderem a oportunidade de dar um passo além e experimentarem coisas novas em suas vidas. Nunca encontramos uma única ordem de Deus para não termos iniciativa, ou nos mandando ficar passivos diante de um inimigo que está em completa atividade.

João (9.1-7) Jesus viu o cego ser ignorado por vários anos por todos os que conviviam com ele. O seus discípulos perguntaram e Jesus fez questão de explicar. Ele fala de algo profundo e desconhecido, fala de um problema espiritual. Até então Deus não era conhecido em meio aquela geração. Jesus, resumidamente, diz a seus discípulos que este problema é para vocês resolverem e crescerem tornando o nome de Deus conhecido nesta geração através do testemunho.

A HISTÓRIA DESTE MILAGRE É UMA PODEROSA MINISTRAÇÃO SOBRE A GRAÇA DE DEUS E SEU PODER ILIMITADO PARA TRANSFORMAR AS VIDAS.

O que Jesus disse que servimos a um Deus ilimitado, um Deus que para Ele não há impossível. Jesus, porém, fitando neles o olhar, disse: Para os homens é impossível; contudo, não para Deus, porque para Deus tudo é possível. (Mc 10.27).

Um Deus que respeita as etapas e os níveis de problemas de uma pessoa. Primeiro os discípulos fazem uma pergunta se o problema do cego era em nível de maldição familiar, que seria um caso mais complicado ou se seria um pecado pessoal, mas Jesus: respondeu este caso não é nem um destes. Poderia ter sido o pecado dos pais e parecia ser uma boa explicação, mas não era o caso, neste caso Jesus está dizendo que não era, nem por causa de seus pais e nem um pecado pessoal que tinha agravado a saúde daquele homem e lhe deixado cego, mas era uma oportunidade para que o nome de Deus fosse glorificado.

O que é importante entender que muitas vezes assim como os discípulos, precisamos de uma ajuda espiritual mais profunda para podermos ajudar pessoas que amamos ou que Deus ama e que se encontra em situação de sofrimento. É muito normal quando vimos uma pessoa sofrendo nos achamos no direito de julgarmos ou culparmos por seus erros, mas quando fazem o mesmo conosco então não concordamos com estas atitudes. Quando vimos pessoas sofrendo, nem sempre elas são culpadas, mas muitas vezes se tornam vítimas de um inimigo espiritual implacável, por este motivo Deus nos chama, hoje, para as levantarmos e as elevarmos a um lugar de vitória.

Deus tem nos dado autoridade, não para nos colocarmos em uma posição superior as pessoas e julgá-las, mas para usar esta autoridade e libertá-las do sofrimento e testemunharmos o evangelho da graça de nosso Deus. Em 2 Cor.12.12 “Pois as credenciais do apostolado foram apresentadas no meio de vós, com toda a persistência, por sinais, prodígios e poderes miraculosos”.

Hoje somos convidados a deixar a passividade de lado. A ação de Deus não é espontânea, mas é provocada quando amamos a Deus, obedecemos a sua palavra e almejamos coisas grandes e Ele nos direciona, nos capacita e nos leva a conquista. O cego experimentou a lavagem no espírito santo e nunca mais foi o mesmo. Você quer isto em sua vida? Então vamos orar

 

Aps. Edson e Izadete Meneghetti.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here